top of page

Devemos “ limpar o prato”?


“Se você não comer tudo, limpar o prato, blá, blá, blá...”

Você já ouviu isso?


Esse “comando” era muito comum na minha infância e acredito que na de muitas pessoas. Não deveria deixar comida no prato pois tinha um peso enorme nessa atitude, afinal, muitas pessoas no mundo passavam fome ou então só poderia brincar depois de comer tudo. E aí, comia tudo né.



O tempo passou e continuei com este padrão e me observei fazendo as mesmas falas com meus filhos, não é incrível como repetimos tudo que fomos ensinados?


Chega uma hora que podemos “acordar” e avaliarmos se realmente este hábito está sendo benéfico para nossa saúde. Continuar repetindo automaticamente sem avaliarmos se de fato continuamos com fome é permitir que um comando de fora determine o que devemos ou não fazer. Se observarmos a facilidade de ofertas de comidas e o tamanho das porções atuais certamente teremos problemas. Já reparou nos baldes de pipoca no cinema?


Vamos lembrar um momento antes disso acontecer, talvez nem seja possível ter estas memórias- de quando éramos bebês. Mas observando os bebês aprendemos que também fomos assim: geralmente choram para avisar que estão com fome, quando já estão cheios não adianta forçar rejeitam na cara dura, empurram o prato ou até jogam no chão sem dó. Esse comportamento nos avisa que temos “sensores biológicos” que determinam o quanto devemos comer. Então, se temos consciência de que comer dessa forma é um comportamento aprendido podemos escolher mudar? Podemos desenvolver novamente esta conexão com nosso corpo e ouvir os sinais de quando temos fome, quanto comer e estamos saciados?


A boa notícia é que sim! Essa é a proposta dos treinamentos baseados em consciência alimentar- Mindful Eating.


Começamos a notar o que acontece na nossa mente e no nosso corpo. Que pensamentos, sentimentos e emoções presentes interferem no nosso comportamento alimentar.


Em vez de consumir tudo que está no prato, vamos investigando que ponto já estamos “cheios” e podemos parar. Esse caminho é bem individual pois requer um treinamento gentil em abandonar todo um passado comendo tudo e sem a escolha consciente.

Mas é exatamente isso que fazemos, um dia de cada vez. Cada refeição, cada garfada vamos refinando a sintonia com o corpo.


Algumas dicas para termos um relacionamento consciente com a comida no prato:

  1. Organize-se para ter um tempo para comer, sentado e sem outra atividade neste momento.

  2. Considere em se perceber neste momento- como se sente? Que emoções estão presentes?

  3. Desperte a curiosidade em você, como as crianças, e experimente o tamanho das porções. Tente comer diferentes quantidades de alimentos diferentes até descobrir a quantidade que parece não deixá-lo nem cheio nem com muita fome. Vamos soltando as pistas externas de parar somente quando acabar a porção, o saquinho de salgadinho, o pacote de bolacha, a caixa de bombom...

  4. Não termine sua refeição. Se você tem dificuldade para quebrar o hábito de limpar o prato, deixe um pouco de comida, mesmo que seja apenas uma mordida. E se notar que é muito difícil, levante-se e retire o prato da sua frente e note como se sente ao fazer isso. Anotar no diário é importante, podemos reconhecer muitas crenças que apoiam este comportamento.

  5. Importante observar se não está com intervalos muito grandes entre as refeições e talvez esteja precisando de um pequeno lanche.


Quando escolhemos trilhar esse caminho de consciência percebemos que é um processo de investigação curiosa de cada experiência com atitudes habilidosas- paciência, não julgamento, gentileza, confiança e aos poucos vamos soltando o que já não faz sentido.


Vamos ouvindo os sinais internos, a sabedoria do corpo. Aprendemos a nos cuidar!


Oferecemos treinamentos online de Mindful Eating- Comer consciente, individual e em grupos, conheça o programa aqui e se tiver dúvidas entre em contato.


#mindful eating

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page